[Sorteio] O Caso Microsoft


Me sigam no Twitter que em breve estarei sorteando o livro: O Caso Microsoft - A história secreta de como Bill Gates construiu seu império
@lagix

[Atualizado] O Sorteiro será na Campus Party 2011, através do site http://sorteie.me/

[Atualizado]  O ganhador foi @rogerpoletto. Parabéns!!! Obrigado ao participantes ;-D
Published with Blogger-droid v1.6.5

Blockbuster [FAIL]

The New Adventure of Sherk!

Minha coleção de CDs do Ubuntu

Coleção:
Adesivos:
5.10:

6.06:


7.04:

7.10:



8.04:

8.10:

9.04:


Peça você também os CDs do Ubuntu e receba gratuitamente em sua casa CDs com a versão mais atual do Ubuntu e adesivos. Clique aqui para pedir os CDs - http://www.ubuntu.com/desktop/get-ubuntu/cds

Conhecendo o GRUB

  O GRUB é um sistema de de multiboot, com ele é possível selecionar qual sistema operacional você deseja iniciar, caso você tenha mais de um Sistema Operacional instalado no computador. Neste artigo iremos apresentar o GRUB, suas configurações, instalação e recuprecação do mesmo, em casos de falhas.

            O GRUB é instalado automaticamente após a instalação de um Sistema Operacional GNU/Linux,  existe também outros sistemas de multiboot como o LILO, porém o GRUB é o mais utilizado atualmente.

1 – Estrutura do GRUB

            O GRUB fica instalado no seguinte caminho: /boot/grub e, nesta pasta encontra-se todos os arquivos necessários para a instalação e configurações do GRUB e são listadas abaixo:

            /boot/grub/grub.cfg – A partir da versão 2 este arquivo é o substituto do menu.lst, porém, diferentemente do menu.lst este arquivo não deve ser editado, ele é gerado automaticamente a partir do aplicativo grub-mkconfig.

            /etc/default/grub – Este é um arquivo de configuração do GRUB que antes se encontrava no menu.lst. Este arquivo poderá ser editado.

            /etc/grub.d – Neste diretório encontra-se os arquivos que serão lidos pelo update-grub, utilizado para atualizar as configurações do GRUB.


Tutoriais

Acompanhe aqui (http://www.devmedia.com.br/brunolage) os tutoriais que estou publicando. Em breve novos tutoriais serão lançados.

Problemas do MSN no Pidgin

Se você está tendo problemas para conectar o MSN no Pidgin pois é exibido uma me sagem de erro no certificado, aqui segue o link que resolve este problema: http://www.webupd8.org/2010/11/fix-pidgin-msn-omegacontactsmsncom.html
Published with Blogger-droid v1.6.5

Jogue Snake no Youtube

Um recurso interessante que descobri no You Tube, não sei se é novo, é a possibilidade de jogar Snake (O Jogo da Cobrinha) nos vídeos do You Tube. No momento em que o vídeo estiver carregando, precisone seta para baixo para começar a jogar.

Instalando programas no Linux

  Olá a todos! Neste artigo estarei abordando como realizar a instalação de aplicativos no Linux. Existem várias distribuições no mercado hoje, porém elas são baseadas basicamente em três; derivadas do Debian, derivadas do RedHat e derivadas do Slackware.
            Aqui mostrarei como realizar a instalação nas distribuições derivadas do Debian e RedHat, pois são as mais fáceis de serem utilizadas. Bem, nelas existem um sistema de gestão de pacotes de software, as derivadas do Debian, APT-GET, do RedHat, YUM. O processo de instalação de um aplicativo, tanto utilizando o APT-GET como YUM é o mesmo.
            Vamos a um exemplo, iremos instalar o programa MSN, um mensageiro para o Windows Live Messenger, como é mostrado na figura abaixo o processo de instalação é simples. Reparem que para execução deste comando é necessário ser root.


Comandos Básicos do Linux - parte 02

Comandos Básicos do Linux – Manipulando Diretórios


(Devido a alguns problemas técnicos na postagem de matérias na Devmedia, resolvi postar a segunda parte da matéria de Comandos Básicos do Linux.)
    Olá  Pessoal, neste artigo estarei dando continuidade sobre explicações dos comandos essenciais para quem precisa utilizar o Linux. Aqui estarei apresentando outros comandos de manipulação de diretórios no Linux.




  • PWD
        O primeiro comandos que vamos ver é o pwd, este comando é muito útil, pois com ele conseguimos ver qual é o diretório atual que estamos navegando, como se pode perceber na figura abaixo.





  • MKDIR
        Outro comando comando é o mkdir, com ele noa conseguimos criar um diretório. Para criar uma pasta é somente digitar o comando mkdir seguido do nome da pasta que você deseja criar, como se pode ver na figura abaixo.





  • RM
        O comando rm inicialmente é utilizado para apagar um arquivo, porém se utilizado com o parâmetro -r é possível apagar um diretório e todo o seu conteúdo.




  • CD
        Mais um comando que vamos ver é o cd, com ele é possível navegar entre os diretórios. Este, como os anteriores, é um comando muito simples, basta digitar o comando cd seguido do caminho do diretório onde você quer acessar.
        Para melhor exemplificar vamos usar o seguinte exemplo, levando-se em consideração que temos a seguinte árvore de diretório.
        /
        |---------home
        |-------------------bruno
        |------------------------pasta01
        |------------------------pasta02
        |-----------------------------arquivo01
        Supondo que estamos no diretório /home/bruno, e queremos acessar a pasta02, para a isso digitaremos o seguinte comando: cd pasta02. Como estamos no diretório /home/bruno, que contém as pastas pasta01 e pasta02,  não é necessário digitar o caminho absoluto da pasta, somente o nome da pasta, que está em um diretório acima. Agora, supondo que estamos na pasta02 e temos que acessar o diretório /home/bruno, neste caso teremos que digitar o caminho absoluto, como neste exemplo: cd /home/bruno.
    Se tivermos em um outro diretório qualquer, e temos que volta para o diretório home do usuário que está logado no sistema, basta digitar o comando cd seguido do til (cd ~).
    Um último exemplo, agora estamos no diretório /home/bruno e temos que ir para o diretório /home, como o diretório /home está em um diretório abaixo do diretório que estamos, basta digitar o comando cd seguido de .. (cd ..).
   
    Assim terminamos este artigo sobre diretórios no Linux. Espero que tenham gostado. Deixem suas críticas e sugestões que estarei dando atenção as mesmas.
Obrigado,
Bruno Lage.
lagix.blogspot.com

Resumo da palestra Segurança no Firebird no 7º FDD

Olá a todos!

Segue abaixo o resumo que fiz da palestra de Segurança no Firebird Luiz Paulo de O. Santos, 7º FDD.


    A segurança deve ser revista periodicamente. Uns dos cuidados que deve-se ter é em relação a exposição da máquina na rede, somente usuários específicos devem ter acesso ao arquivo de banco de dados no servidor.

    Uma prática de insegurança é utilizar a senha SYSDBA para todos os acessos ao banco de dados, pois assim perde-se o controle do quem fez determinada ação no banco de dados, o ideal é criar um usuário específico para cada conta (Nunca utilize SYSDBA junto com masterkey). Uma prática de segurança é a troca periódica da senha do SYSDBA, no Linux existe um script que realiza a troca da senha para a que foi especificada, junto com ele é possivel agendar semanalmente a troca da senha SYSDBA. Na versão 2.5 do Firebird será possível a transefência de direitos do usuário SYSDBA para outro usuário do sistema, a tranferência pode ser revogada futuramente.

    Alguns comandos como CURRENT_USER e CURRENT_ROLE, já estão dispoíveis desde a versão 1.5 do Firebird, com ele é possivel saber o usuário atual e quais os direitos deste usuário, respectivamente.

    A utilização de concomitantes para criação de roles e criação de Stored Procedures para a criação de logs no banco de dados é um boa pratica. Uma outra prática que visa a melhora da performace do banco é desabilitar o Garbage Colector Automático, pois com ele habilitado os registros ficam "presos" até o final da execução do GCA e a possibilidades de geração de deadlocks é maior.

    A utilização do servidor embutido do Firebird só deve ser utilizado no modo somente leitura, pois este modo embutido não utiliza senhas para acesso, portanto qualquer banco que esteja na máquina poderá ser acessado por ele. Uma boa utilização para ele seria junto com uma distribuição de uma demo no CD ou PenDrive.

    Alguns comandos essenciais:


  • gstat - Exibe o status do banco
  • gfix -shut -full - Melhoria no Garbage Colector e diminuição do tamanho do Banco
  • With Lock - Utilizado junto com o SELECT, consegue-se bloquear os registros do select para o modo somente leitura. Esta é uma boa utilização caso seja preciso utilizar um UPDATE-SELECT para assegurar que os registros do select não venhão a ser alterados enquanto estiver sendo feito o update.

    Ao criar-se um servidor para o Firebird, uma boa prática é somente colocar neste servidor o banco de dados Firebird, outros serviços ou outros banco recomenda-se a utilização de outros servidores. Até para outros bancos, o ideal é somente a utilização de 1 servidor de banco de dados por máquina. Utilize somente virtualização com um hardware específico, caso contrario a performace do banco irá cair.

    Realize backups completos (gback) e incrementais (nbackup), as cópias devem ser feitas para um outro HD, pois caso esteja com algum problema tem-se mais garantias que o backup do banco esteja em condições normais.

    A utilização de Shaddow é muito importante para caso o servidor não seje muito confiável. Shaddow é um espelhamento do banco de dados , caso ocorra algum problema na base atual pode-se recuperar com o backup e com o shaddow volta o banco para o estado atual dos registros. Uma boa configuração do servidor do firebird é utilizar 3 HDs, um para o sistema operacional, outro para o firebird e um terceiro para os backups e shaddows.

    A porta padrão do Firebird 3050, deve ser trocada para uma outra porta e, na porta padrão coloca-se uma implementação de um bastion-host e logs na porta padrão, caso haja uma tentativa de invasão a porta 3050 é a primeira a ser atacada no servidor.

    Caso seja preciso utilização do Firebird pela internet, utilize uma VPN, como o ZBD, com ele é possivel compactar e criptografar a transmissão dos dados. A rede Wireless é muito vulnerável por natureza, então se for utilizar o banco  dados por esta conexão, utilize o ZBD com o modo de criptografia habilitado, pois os dados transmitidos pelo Firebird passam abertos pela rede e qualquer um que conseguir colocar um Sniffer na rede obterá todas as informações que trafegaram.

    O servidor de banco de dados deverá está com um firewall habilitado, com esquemas de bloqueio de brutal-force e, com uma configuração no IPTables consegue-se descobrir quais os IPs que acessam o banco de dados.

    Tipos de Ataque que pode ocorrer: Físico (nas instalações do servidor), Lógicos (brutal-force, deny of service, spoofs(sniffers e penetração/invasão no servidor))

    Algumas ferramentas para realização de testes de penetração e monitoramento:

  • Back Track - Distribuição linux para realização de testes de penetração e descobrir as falhas de segurança do servidor.
  • Deft - Distribuição linux para análise de Forencia Computacional
  • Snort - Ferramenta para detecção de intrusão, com ele rodando no servidor é possivel programar ações para ser feitas quando o servidor sofrer um ataque. Com o Snort é possivel descobrir o IP que mais acessa o BD.
  • OpenVAS - Ferramenta para testes de penetração.

    SQL Injections, devem ser tratados na aplicação. O Delphi deve ser retirado das máquinas dos usuários finais, pois ele possui uma ferramenta chamada Insight que consegue capturar as senhas do banco de dados.

   
    Recursos do Firebird 2.5:

  • Melhor suporte a multiprocessamento
  • Mais seguro
  • Maior ganho de performace
  • Utilização da criptografia SHA-1 para as senhas dos usuários do Banco
  • Possibilidade de realizar um SELECT em tabelas diferentes de servidores diferentes.
  • Muitas mudanças nas UDFs

    Os 8 dos 10 mandamentos para o uso seguro do Firebird, de Luiz Paulo de O. Santos:

  1. Não usará jamais a senha masterkey, seja para o SYSDBA ou outro usuário.
  2. Terás sempre backup atualizado, shaddows e base replicada.
  3. Usarás sempre o ZBD e um firewall para protejer seu Firebird.
  4. Não abusarás de UDFs, principalmente de UDFs que você não criou.
  5. Não utilizarás as variáveis ISC_USER e ISC_PASSWORD em vão.
  6. Manterás o Hardware e sistema operacional atualizados.
  7. Não atribuirás IP rotável ao servidor sem real necessidade.
  8. Não deixarás faltar espaço no disco do seu banco de dados.


Review FDD 7: lagix.blogspot.com
Conferencia Internacional do Firebird: http://www.firebird-conference.com/

[Atualizado] Review do 7º Firebird Developers Day

Olá Pessoal,

Depois do evento, estou aqui para falar minhas impressões. Esta é a primeira vez que participo do Firebird Developers Day, o evento foi uma maravilha, gostei muito, me trouxe muito conhecimento e o melhor, a interação entre membros da comunidade.

Tenho que deixar destacado aqui a pontualidade e a organização do evento, sem contar, claro, que a maravilhosa estrutura da Unimep me surpreendeu. Se tiver que dar uma nota ao evento, dou 99. Calma! Vou explicar o motivo... Teve dois fatos, o qual presenciei e ouvi outros membros comentando, foram:
  1. Estamos participando de um evento sobre o banco de dados open-source Firebird. Por que motivo estava uma folder do SQL Server na pasta que todos receberam? Faz algum sentido? Eu não entendi nada.
  2. Outra coisa que também não gostei, foi a palestra de mineração de dados. Eu, como outras pessoas que conversei, esperavam algo mais aprofundado e que tivesse mais relacionado com o Firebird. Só foi mencionado o nome "Firebird" uma única vez, depois... SQL Server, Access e, Excell. Não estou aqui querendo diminuir a importancia destas ferramentas, mas se estamos em um evento de Firebird, espera-se que as palestras sejem focadas no Firebird.

Bem, este é o meu review do evento, até ao 8º FDD !!! :-D

___________________________________________________________
Resposta do Cantu:


BD>    1. Estamos participando de um evento sobre o banco de dados open-source
BD>    Firebird. Por que motivo estava uma folder do SQL Server na pasta que todos
BD>    receberam? Faz algum sentido? Eu não entendi nada.

Eu já esperava esse tipo de comentário ;-) Vamos lá:

A Microsoft foi uma das patrocinadoras do FDD, então tinham direito a
colocar o material que quisessem na pasta do evento. A palestra que
eles deram mostrou como se pode fazer um link entre um Firebird <->
SQL Server e utilizar as ferramentas de BI para fazer Datamining. O
material para ser inserido no folder chegou até mim um dia antes das
pastas serem montadas, e quando vi o que mandaram, já imaginei que
algumas pessoas não iriam gostar. Me parece que, na verdade, deveria
ter vindo algum material sobre Cloud, mas acabaram enviando aqueles
folhetos de SQL Server (o que, de um certo ponto de vista, até faz
sentido, pois o evento tinha pessoas interessadas em BD, e eles
provavelmente queriam mostrar o deles ;-).

De qualquer forma, eu sinceramente não encaro o SQL Server como
concorrente do Firebird:

- O SQLServer é fácil de instalar e praticamente livre de manutenção e
 de DBA?
- O SQLServer é gratuito? (não estou falando de versões limitadas)
- O SQLServer tem versão embedded que dispensa instalação?
- O SQLServer é OpenSource?

Eu poderia continuar a lista, mas acho que já ficou clara a idéia.
Mesmo assim, tem pessoas que usam SQLServer, e também Firebird. Ou
seja, tem espaço para todo mundo. No meu caso, até hoje, o Firebird
supriu todas as minhas necessidades, e nunca precisei usar outro SGBD.

BD>    2. Outra coisa que também não gostei, foi a palestra de mineração de
BD>    dados. Eu, como outras pessoas que conversei, esperavam algo mais
BD>    aprofundado e que tivesse mais relacionado com o Firebird. Só foi mencionado
BD>    o nome "Firebird" uma única vez, depois... SQL Server, Access e, Excell. Não
BD>    estou aqui querendo diminuir a importancia destas ferramentas, mas se
BD>    estamos em um evento de Firebird, espera-se que as palestras sejem focadas
BD>    no Firebird.

Infelizmente eu não pude assistir essa palestra, pois ela foi
concorrente com a minha. Você pode responder a pesquisa de satisfação
que já está no ar e fazer seus comentários, que serão enviados ao
palestrante.

[]s
Carlos H. Cantu

    Aprendendo a Programar em Python - Estruturas Condicionais - Case

      Olá Pessoal, hoje darei seqüência a esta série sobre programação em Python. Hoje irei demonstrar para vocês o uso da estrutura condicional Case.

    Estrutura CASE

        No Python, não existe a estrutura CASE como em outras linguagens, porém, pode-se obter o mesmo efeito de duas formas. A primeira seria a utilização da Estrutura Condicional Aninhada, como visto anteriormente, ou utilizando um dicionário.
        Os Dicionários são umas coleções desordenadas de objetos. Futuramente irei abordar sobre Dicionários, mas o que pode ser adiantado agora é que os Dicionários possuem um conjunto de chave-valor, como podemos ver no exemplo abaixo:

    Aprendendo a Programar em Python - Estruturas Condicionais - IF

    Olá Pessoal, nesta terceira parte irei abortar sobre as estruturas condicionais em Python. Antes de exibir um exemplo de estrutura condicional no Python, vamos a um pouco de teoria. Uma Estrutura de Condição, como o próprio nome já diz, verifica a condição dos argumentos passados e, executa um comando caso a condição seja verdadeira, como se pode ver no algorítimo abaixo:


    SE condição
    ENTÃO comando


        Antes de entrarmos na análise da estrutura em Python vamos conhecer os Operadores Condicionais do Python. Os Operadores Condicionais são utilizados para fazer as comparações dos valores que são passados e retornam o valor Verdadeiro ou Falso.

    Comandos Básicos do Linux – Listando Diretórios

                 Olá pessoal, estarei dando inicio a uma série de explicações sobre os comandos essencias para quem precisa trabalhar com o Linux no prompt de comando.
                Este artigo é destinado aquelas pessoas que ainda estão iniciando no mundo Linux e, eventuamente necessitam acessar o Linux para realizar alguma operação. 

    Aprendendo a programar com Python - Trabalhando com entrada de dados

    Olá pessoal! No último artigo, demos inicio à série sobre o Python. Na ocasião, nós montamos o ambiente e fizemos nossa primeira aplicação, o clássico “Hello Word”. Pois bem, hoje mostraremos como fazer entradas de dados no Python, incrementando um pouco mais nosso aprendizado.

                Vamos criar um novo projeto, ou então usar o projeto usado no último artigo. Neste nosso exemplo, vamos criar uma aplicação que lê dois valores que o usuário digitará e no final, vamos exibir a soma dos dois. Escreva o seguinte código na aplicação.

                                12    num1 = input('Entre com o 1º valor: ')
                                13
                                14    num2 = input('Entre com o 2º valor: ')
                                15
                                16    soma = num1 + num2
                                17
                                18    print "A soma é",soma

    Aprendendo a programar com Python

    Olá a Todos! Aqui estarei dando inicio a uma série sobre Python e para quem está querendo aprender esta linguagem, este artigo será uma boa opção.

                Partirei do príncipio que você, leitor, não tem nenhum conhecimento sorbe a linguagem, portanto começarei do zero, explicando desde os conceitos da linguagem, passando pelo clássico “hello word” e desbravando as funcionalidades e recursos da linguagem.

    O que é Phyton

                Python é uma linguagem dinâmica, interpretada, robusta, multiplataforma, multi-paradigma (orientação à objetos, funcional, reflectiva e imperativa) e está preparada para rodar em JVM e .NET Framework. Lançada em 1991 por Guido van Rossum, é uma linguagem livre (até para projetos comerciais) e hoje pode-se programar para desktops, web e mobile.

    Firebird Developers Day

    Dia 17 de julho acontecera o 7º evento de desenvolvedores  Firebird em Pircacicaba - SP. Preços especiais ate dia 4 de Junho.


    "Organizado pela FireBase, o Firebird Developers Day chega à sua sétimaEm 2.010, o Firebird completa 10 anos de existência, e o FDD faz parte da série de eventos mundiais de comemoração deste aniversário! edição consagrado como o maior evento de banco de dados Firebird em todo o mundo!
    Além de oferecer a oportunidade de aprofundamento técnico, o FDD é um importante ponto de encontro para a comunidade de usuários, permitindo uma interação "ao-vivo", com troca de experiências e contatos entre pessoas com um interesse comum: o Firebird!
    Os participantes receberão um kit com material exclusivo do evento, e poderão adquirir licenças de ferramentas e componentes por preços super reduzidossaiba mais aqui). "

    Convertendo RMVB para MP4

    Estava eu tentando converter uns vídeos para o meu humilde celular e assistir enquanto estivesse viajando. Após uma longa procura googlada consegui converter, então compartilho o código:

    ffmpeg -i ~/Vídeos/Alem\ da\ Imaginacao/Ep13.rmvb -acodec libfaac -ab 128kb -vcodec mpeg4 -b 1200kb -mbd 2 -cmp 2 -subcmp 2 -s 320x180 zone13.mp4


    -acodec libfaac => Codec de áudio para mp4.
    -ab 128kb => Qualidade do áudio.
    -vcodec mpeg4 => Codec do vídeo.
    -s 320x180 => Resolução do vídeo.

    Medindo o Software - parte III

    Nesta terceira parte do artigo de Medição de Software irei continuar a explicação do processo de contagem de pontos de função.

    No artigo anterior analisamos o seguinte cenário: “O gerente possui um problema em seu controle de seu estoque. O mesmo precisa saber quantos produtos saíram e quantos produtos entraram no estoque. Os produtos que saem do estoque são vendidos pela loja online, que será controlada por outra aplicação. Após o término de um período de 30 dias o gerente precisa saber quais foram os produtos que tiveram mais saídas.” A partir deste levantamento descobrimos dois ALIs Material  e Entrada e Saída de Material somando um total de 14 PF.



    Leia Mais

    Medindo o Software - parte II

    Nesta segunda parte do artigo de Medição de Software irei começar a explicar passo-a-passo o processo de contagem de pontos de função.  

    Primeiramente, antes de realizar a contagem de pontos de função temos que levantar os requisitos do usuário, pois é a partir dos requisitos que será feito a contagem. Para isso iremos supor que após a entrevista realizada com o gerente da empresa XPTO, descobrem-se os seguintes requisitos: “O gerente possui um problema em seu controle de seu estoque. O mesmo precisa saber quantos produtos saíram e quantos produtos entraram no estoque. Os produtos que saem do estoque são vendidos pela loja online, que será controlada por outra aplicação. Após o término de um período de 30 dias o gerente precisa saber quais foram os produtos que tiveram mais saídas.” 


    Leia Mais

    Medindo o Software - parte I

    Olá à todos! Estou pendente no artigo do WS4GL, mas já estou preparando e em breve estará aqui. Enquanto isso acompanhem os meus artigos na DevMedia - http://www.devmedia.com.br/brunolagehttp://www.devmedia.com.br/brunolage

    Este é o primeiro artigo da série de medição de software com Pontos de Função.

    Abra os olhos!

    "E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores." Mateus 24:6-8



    Tantos desastres acontecendo ao redor do mundo... Será que a humanidade ainda não percebeu?! Jesus está voltando! Ele te ama é quer te salvar da morte e te dar vida e vida em abundância, vida eterna, sem dor, sofrimento e tristezas. Só Jesus é a salvação!

    "Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu. E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus." - João 3:13:21
    Veja abaixo o Tsunami que ocorreu no Hawaii após o terremoto do Chile.

    Open Funcion Point [Descontinuado]

    Olá a todos! Estou desenvolvendo o sistema Open Function Point, é uma ferramenta para auxiliar no processo de contagem de pontos de função e além disso, gerar tarefas referentes as funções contadas e no final exibir um relatório em comparação com a contagem estimativa e a contagem real. Decidi desenvolver esta ferramenta devido ao fato de não existirem opções open source de ferramentas de análise de pontos de função, se você quiser me ajudar neste desenvolvimento, é só entrar em contato comigo.

    Para saber mais sobre Pontos de Função, acesse: BFPUG

    UPDATE: Existe uma ótima ferramenta para contagem de pontos de função: Function Point Modeler

    ws4gl

    Funções ZZ

    Funções ZZ é uma coletânea de 75 aplicativos com diversas funções para serem usados na linha de comando do Linux, auxiliando bastante no desenvolvimento de algum código em Shell Script. Dentre as 75 funções destacam-se: Cálculos e Conversões, Manipilação de Arquivos e Dados, e Consulta de Sites na Web. É muito fácil de instalar, basta extrair os arquivos do pacote e está pronto para ser usado.

    Dentre estas funções duas me chamaram atenção: a zzfoneletra, que transforma letras em números, que utilizei em alguns post anteriores (quem não percebeu) e a cores, que me retorna uma lista de cores para alterar o plano de fundo e as fontes do terminal.


    ws4gl

    Carnaval - A festa da carne



    Porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis (Rm 8.13)

    O carnaval no Brasil, uma das mais conhecidas festas populares do mundo, é totalmente contrário aos valores cristãos. Mas, por outro lado, não podemos deixar de considerar que esta festa é uma manifestação folclórica e cultural do povo brasileiro. Será que o carnaval, na proporção que vemos hoje – com suas mais variadas atrações, com direito a escândalos e tudo, envolvendo políticos (quem não se lembra do episódio ocorrido com Itamar Franco?) e alcançando as camadas mais humildes da sociedade – é o mesmo de antigamente? Onde e como teve início o carnaval? Qual tem sido a sua trajetória, desde o seu princípio até os dias atuais? Existem elementos éticos em sua origem? São perguntas que, na medida do possível, estaremos respondendo no artigo que segue.

    Origem histórica da festa do rei Momo

    A palavra carnaval deriva da expressão latina carne levare, que significa abstenção da carne. Este termo começou a circular por volta dos séculos XI e XII para designar a véspera da quarta-feira de cinzas, dia em que se inicia a exigência da abstenção de carne, ou jejum quaresmal. Comumente os autores explicam este nome a partir dos termos do latim tardio carne vale, isto é, adeus carne, ou despedida da carne; esta derivação indicaria que no carnaval o consumo de carne era considerado lícito pela última vez antes dos dias do jejum quaresmal - outros estudiosos recorrem à expressão carnem levare, suspender ou retirar a carne: o Papa São Gregório Magno teria dado ao último domingo antes da quaresma, ou seja, ao domingo da qüinquagésima, o título de dominica ad carnes levandas; a expressão haveria sido sucessivamente abreviada para carnes levandas, carne levamen, carne levale, carneval ou carnaval – um terceiro grupo de etmologistas apela para as origens pagãs do carnaval: entre os gregos e romanos costumava-se exibir um préstito em forma de nave dedicada ao deus Dionísio ou Baco, préstito ao qual em latim se dava o nome de currus navalis: de onde vem a forma carnavale.1

    Segundo o historiador José Carlos Sebe, ao carnaval estão relacionadas as festas e manifestações populares dos mais diversos povos, tais como o purim, judaico, e as saturnálias e as caecas, babilônicas, manifestações que contribuíram muito para o carnaval atual.

    A real origem do carnaval é um tanto obscura. Alguns historiadores assentam sua procedência sobre as festas populares em honra aos deuses pagãos Baco e Saturno. Em Roma, realizavam-se comemorações em homenagem a Baco (deus de origem grega conhecido como Dionísio e responsável pela fertilidade. Era também o deus do vinho e da embriaguez). As famosas bacanais eram festas acompanhadas de muito vinho e orgias, e também caracterizadas pela alegria descabida, eliminação da repressão e da censura e liberdade de atitudes críticas e eróticas. Outros estudiosos afirmam que o carnaval tenha sido, talvez, derivado das alegres festas do Egito, que celebravam culto à deusa Isís e ao deus Osíris, por volta de 2000 a.C.

    A Enciclopédia Britânnica afirma: Antigamente o carnaval era realizado a partir da décima segunda noite e estendia-se até a meia-noite da terça-feira de carnaval2. Outra corrente de pensamento entende que o carnaval teve sua origem em Roma. Enquanto alguns papas lutaram para acabar com esta festa (Clemente, séculos IX e XI, e Benedito, século XIII), outros, no entanto, a patrocinavam.

    A ligação desta festa com o povo romano tornou-se tão sólida que a Igreja Romana preferiu, ao invés de suspendê-la, dar-lhe uma característica católica. Ao olharmos para países como Itália, Espanha e França, vemos fortes denominadores comuns do carnaval em suas culturas. Estes países sofreram grandes influências romanas. O antigo Rei das Saturnais, o mestre da folia, é sempre morto no final das antigas festas pagãs.

    Vale ressaltar que O festival Dionisíaco expõe em seu tema um grande contra-senso, descrito na The Grolier Multimedia. Enciclopédia, 1997: A adoração neste festival é chamada de Sparagmos, caracterizada por orgias, êxtase e fervor ou entusiasmo religioso. No entanto, seu significado é descrito no mesmo parágrafo da seguinte forma: Deixar de lado a vida animal, a comida dessa carne e a bebida desse sangue.

    A origem do carnaval no Brasil

    O primeiro baile de carnaval realizado no Brasil ocorreu em 22 de janeiro de 1841, na cidade do Rio de Janeiro, no Hotel Itália, localizado no antigo Largo do Rócio, hoje Praça Tiradentes, por iniciativa de seus proprietários, italianos empolgados com o sucesso dos grandes bailes mascarados da Europa. Essa iniciativa agradou tanto que muitos bailes o seguiram. Entretanto, em 1834, o gosto pelas máscaras já era acentuado no país por causa da influência francesa.

    Ao contrário do que se imagina, a origem do carnaval brasileiro é totalmente européia, sendo uma herança do entrudo português e das mascaradas italianas. Somente muitos anos depois, no início do século XX, foram acrescentados os elementos africanos, que contribuíram de forma definitiva para o seu desenvolvimento e originalidade.

    Nessa época, o carnaval era muito diferente do que temos hoje. Era conhecido como entrudo, festa violenta, na qual as pessoas guerreavam nas ruas, atirando água uma nas outras, através de bisnagas, farinha, pós de todos os tipos, cal, limões, laranjas podres e até mesmo urina. Quando toda esta selvageria tornou-se mais social, começou então a se usar água perfumada, vinagre, vinho ou groselha; mas sempre com a intenção de molhar ou sujar os adversários, ou qualquer passante desavisado. Esta brincadeira perdurou por longos anos, apesar de todos os protestos. Chegou até mesmo a alcançar o período da República. Sua morte definitiva só foi decretada com o surgimento de formas menos hostis e mais civilizadas de brincar, tais como o confete, a serpentina e o lança-perfume. Foi então que o povo trocou as ruas pelos bailes.

    Posição da igreja evangélica no período do carnaval


    Como pudemos observar, o carnaval tem sua origem em rituais pagãos de adoração a deuses falsos. Trata-se, por isso, de uma manifestação popular eivada de obras da carne, condenadas claramente pelas Sagradas Escrituras. Seja no Egito, Grécia ou Roma antiga, onde se cultua, respectivamente, os deuses Osíris, Baco ou Saturno, ou hoje em São Paulo, Recife, Porto Alegre ou Rio de Janeiro, sempre notaremos bebedeiras desenfreadas, danças sensuais, música lasciva, nudez, liberdade sexual e falta de compromisso com as autoridades civis e religiosas. Entretanto, não podemos também deixar de abordar os chamados benefícios do carnaval ao país, tais como geração de empregos, entrada de recursos financeiros do exterior através do turismo, aumento das vendas no comércio, entre outros.

    Traçando o perfil do século XXI, não é possível isentar a igreja evangélica deste momento histórico. Então, qual deve ser a posição do cristão diante do carnaval? Devemos sair de cena para um retiro espiritual, conforme o costume de muitas igrejas, a fim de não sermos participantes com eles (Ef.5.7)? Devemos, por outro lado, ficar aqui e aproveitarmos aoportunidade para a evangelização? Ou isso não vale a pena porque, especialmente neste período, o deus deste século lhes cegou o entendimento (2 Co.4.4) ?

    Creio que a resposta cabe a cada um. Mas, por outro lado, a personalidade da igreja nasce de princípios estreitamente ligados ao seu propósito: fazer conhecido ao mundo um Deus que, dentre muitos atributos, é Santo.

    Há quem justifique como estratégia evangelística a participação efetiva na festa do carnaval, desfilando com carros alegóricos e blocos evangélicos, o que não deixa de ser uma tremenda associação com a profanação. Pergunta-se, então: será que deveríamos freqüentar boates gays, sessões espíritas e casas de massagem, a fim de conhecer melhor a ação do diabo e investir contra elas? Ou deveríamos traçar estratégias melhores de evangelismo?

    No carnaval de hoje, são poucas as diferenças das festas que o originaram, continuamos vendo imoralidade, música lasciva, promiscuidade sexual e bebedeiras.


    Como cristãos, não podemos concordar e muito menos participar de tal comemoração, que vai contra os princípios claros da Palavra de Deus: Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito (Rm 8.5-8). Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus (1 Co 6.20).


    O carnaval é um exemplo real da sobrevivência do paganismo, com todos os seus elementos presentes. É a explicita manifestação das obras da carne: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes. O apóstolo Paulo declara inequivocamente que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus (Gl 5.19-21).


    Fonte: Instituto Cristão de Pesquisa (22/01/10 19:31 - http://www.icp.com.br/31materia1.asp)

    O que está acontecendo com o mundo?!


    22763

    Nos ultimos dias temos visto vários desastres naturais: deslizamentos, terremotos, tsunamis, furacões, pestes ...

    A humanidade está vivendo tempos iguais a de Ló "... comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar." (Lucas 17:28-30), estamos todos preocupados com o nosso próprio umbigo, se afastando cada vez mais do Deus que criou os céus e a terra, Aquele que criou os animais e o homem, Aquele que entregou o seu próprio filho, Jesus Cristo, para morrer em nosso lugar, para que através de Jesus pudéssemos ser salvos, salvos da morte e do inferno, a Bíblia diz em João 3:16-21:

    "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus."

    Assim como está escrito em Lucas 21:8-11: "Disse então ele: Vede não vos enganem, porque virão muitos em meu nome, dizendo: Sou eu, e o tempo está próximo. Não vades, portanto, após eles. E, quando ouvirdes de guerras e sedições, não vos assusteis. Porque é necessário que isto aconteça primeiro, mas o fim não será logo. Então lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino; E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu.". A cada dia que passa acontesse mais desastres, e espero que com isso você venha abrir os olhos e ver que só existe solução em Jesus, e quando fizer isso Ele irá te proteger de todo o mal.

    Espero que mesmo com todas as minhas limitações e deficiências tenha conseguido transmitir um pouco da palavra de Deus.